Empresas disponibilizam franquias no formato home based

Ninguém pode negar que o home based, atualmente, é uma tendência como modelo de negócio. Apesar de não ser uma modalidade nova, as circunstâncias econômicas do momento têm feito com que o formato ganhe cada vez mais força.

Com as eleições em 2018, o brasileiro ficou esperançoso de que a situação econômica no país se resolvesse rapidamente. Entretanto, parece que ainda vai demorar um pouco para que esta conjuntura mude. 

Desse modo, o home based tem sido uma solução para muitas empresas na abertura de novas franquias.

Isso inclui até mesmo as companhias mais tradicionais do mercado. Além da ótima ideia de poder trabalhar de casa, esta alternativa torna o negócio mais barato de se iniciar. Afinal, custos com aluguel e folha de pagamento podem ser suprimidos.

Por que ser um franqueado?

O home based já é uma ótima ideia por si. Poder trabalhar do conforto da própria casa e ter um horário flexível são vantagens que poucos empregos podem oferecer. Esses benefícios ficam ainda mais evidentes quando você é o empresário que cuida do funcionamento de tudo.

Mas, aí surge uma dúvida. Não seria melhor iniciar o próprio negócio ao invés de investir em uma franquia home based? 

É fato que nenhum negócio é 100% seguro. Empreender tem seus riscos em qualquer seguimento. No entanto, o modelo de franchising oferece uma segurança um pouco maior para quem quer começar. 

De acordo com o SEBRAE, as chances de o negócio dar certo são maiores, pois o produto a ser vendido já foi testado e aprovado pelo mercado. Não será preciso tentar a sorte para analisar se vai dar certo ou não.

Além do prestígio que a marca já alcançou no seu seguimento, o franqueado poderá contar com toda estrutura já existente da empresa a ser representada. Para o franqueador, é interessante o treinar o novo empresário, afinal, a representação da marca precisa ser feita com qualidade. 

Os riscos de uma franquia home based

O franchising home based chama atenção pelo valor dos investimentos iniciais, que são mais curtos. Afinal, não existe a necessidade de investir em coisas como um espaço físico com todos os padrões de arquitetura exigidos pelo franqueador. 

No entanto, é importante avaliar bem a proposta da empresa franqueadora. Existem muitas oportunidades boas, mas nem todas são de fato para a abertura de uma franquia. Algumas delas se limitam a simples revendas de produtos ou representações comerciais. 

De acordo com o Daniel Bernard, especialista da Netplan Consultoria, é simples diferenciar as ofertas. 

“Perceber a diferença é simples: se a franqueadora está vendo esse empreendedor apenas como meio de escoar produto, é um representante comercial ou uma revenda simples. É tudo, menos franquia.”

Bernard ainda esclarece que o material oferecido pela empresa franqueadora deve conter um modelo que indique que o negócio tem perspectiva de crescimento a longo prazo. Se a oferta for baseada apenas na venda de produtos, é possível que não se trate de uma franquia de fato.

“Franquia não é concessão comercial nem licenciamento. Claro que o objetivo da franqueadora é vender produto, mas ela deve orientar o franqueado a comprar e vender sem acumular estoque e com margem suficiente de lucro”

Para consultar algumas opções de franquias no formato home based, clique aqui.