J.Macêdo demite funcionários com fim das atividades em Maceió

Ao passo em que novos negócios surgem para a geração de empregos, a crise infelizmente leva algumas empresas a fecharem suas portas. Esse é o caso da unidade alagoana da J. Macêdo, a qual encerrou suas atividades na última semana.

No entanto, apesar da fase financeira ruim, a empresa afirma que tentará minimizar o máximo possível os danos causados a seus ex-funcionários. A intenção é que as famílias não sintam tanto o impacto da demissão.

J.Macêdo
Foto: (reprodução/internet)

Para entender mais a respeito do fechamento da companhia em Maceió, continue a leitura deste artigo a seguir.

Segmento perderá unidade de uma grande concorrente

Até a presente data, a J. Macêdo é considerada a maior companhia do ramo de moagem de trigo no Brasil. Atualmente, existem várias unidades espalhadas pelo país, com operações específicas para cada uma.

Por exemplo, em Fortaleza, Salvador e Londrina, estão instalados três moinhos de trigo. As fábricas de massa são um total de quatro unidades, espalhadas em Pouso Alegre, Salvador e São José dos Campos.

PROPAGANDA

Existem ainda fábricas destinadas à mistura para bolo em Salvador e São Paulo. Além dessas, a cidade de Simões Filho abriga uma unidade destinada exclusivamente à fabricação de biscoitos.

Em Maceió, no entanto, a atividade executada era uma das mais importantes, pois fazia parte do grupo das que eram dedicadas à fabricação de massa. Todas as atividades envolvidas na operação da unidade alagoana foram distribuídas entre as demais.

J.Macêdo realizou estudos

Após uma série de análises, pesquisas e estudos, os diretores da J. Macêdo chegaram à conclusão de que seria melhor encerrar o funcionamento da fábrica. Depois da medida estabelecida, ainda não foram informados quantos postos de trabalho foram afetados.

A J. Macêdo chegou a essa decisão após verificar que manter o funcionamento da planta em Maceió era economicamente inviável. A principal razão disso é o momento econômico que o Brasil está atravessando.

Em nota, a companhia afirma:

“A companhia vai minimizar o impacto da decisão nos colaboradores oferecendo suporte a eles e suas famílias, em linha com os valores essenciais da empresa e com o respeito pelas pessoas que marcam a trajetória de quase 80 anos J.Macêdo”

E continua:

“Mesmo tendo a J.Macêdo empenhado reiterados esforços, implementando uma gestão rigorosa, focada na excelência operacional e na otimização de custos, a conclusão foi de que a manutenção da planta não é mais viável economicamente.”

Algumas garantias após o encerramento

A decisão foi consolidada na última quarta-feira (dia 14 de agosto), quando houve o encerramento dos trabalhos. No entanto, a competitividade de mercado e os ganhos de produtividade foram assegurados com a distribuição das atividades para outras unidades.

Uma outra garantia concedida foi o atendimento aos seus clientes. Segundo a nota emitida pela empresa, o fornecimento de sua mercadoria continuará acontecendo normalmente.

“O fechamento da unidade não vai afetar o atendimento ao mercado e a empresa garantirá a regularidade e a qualidade do fornecimento, durante e após o processo de transferência das operações.”

PROPAGANDA