Metade do mercado de trabalho terá mais de 50 anos até 2040 no Brasil, diz pesquisa

“A valorização e o respeito aos conhecimentos e às experiências de distintas gerações são estratégicos para o mercado de trabalho”.

A afirmação é da Maria Cristhina de Souza Rocha. Ela é a gerente responsável pelos projetos estratégicos do Sistema Fiep.

Já o sistema Fiep é composto pela Federação das Indústrias do Paraná, pelo Serviço Social da Indústria, pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial e também pelo Instituto Euvaldo Lodi.

E o que tudo isso quer dizer? Quer dizer que toda a sociedade mundial está passando por mudanças. Sejam elas as demográficas, as sociais, as culturais e, inclusive, as tecnológicas que tem a ver com a longevidade e melhoram o mercado de trabalho.

Assim sendo, com base em um estudo do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), a afirmação do título do texto é verdadeira. Isto é, o Brasil vai ter mais da metade da sua força de trabalho vinda de pessoas com mais de 50 anos até o ano de 2040.

Rota da Longevidade

 

Aí que com esse dado, o sistema Fipe fez um encontro chamado Rota da Longevidade no início do mês. Lá estavam representantes de empresas e especialistas da área. Qual foi a ideia do encontro? Justamente encontrar caminhos para a indústria.

“O Sesi Paraná se propõe a achar objetivos comuns com as empresas e consultores. Isso para que tenhamos um norte coletivo. E que auxilie a todos na implementação de ações em prol da longevidade”, afirmou Maria.

Noelly Mercer é a coordenador do Centro de Inovação do Sei e também comentou a questão da inclusão de pessoas mais velhas no mercado de trabalho.

“Entendemos que um ambiente multigeracional vai trazer ganho de produtividade, além da criatividade e da inovação”… para o mercado de trabalho.

O Novo Envelhecimento

Já o Egídio Lima Dorea, que é o diretor de desenvolvimento institucional do Centro Internacional de Longevidade acredita no novo envelhecimento.

“Estamos vivendo uma revolução do ponto de vista da longevidade em diversos aspectos e conceitos. Assim, alguns padrões estão sendo rompidos. Precisamos significar novamente o envelhecer através do envelhecimento saudável e ativo”.

E como se faz isso? Para o diretor a resposta é simples: com um trabalhador ativo, participativo, engajado e que tenha também uma boa saúde, tanto física como mental.

A ideia da Rota da Longevidade é ser um exemplo para o país todo. “A Rota poderá ser usada por organizações para que tenha elementos que ajudem no planejamento”. Como comenta a gerente do Observatório Fiep, Marília de Souza.

Projeto de Lei

Sobre o assunto vai citar o Reta (Regime Especial de Trabalho do Aposentado). Essa é uma proposta que se transformou em projeto de lei e é do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon.

A ideia é trazer mais flexibilidade para as regras que são aplicadas ao aposentado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), assim como do funcionalismo público.

Um exemplo do que mudaria é o salário mensal sem os direitos trabalhistas. A proposta vista dar aos aposentados benefícios como as férias, o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e outros.

“Daqui há 20 anos teremos muitos poucos jovens para trabalhar”, avalia o presidente do Mongeral Aegon, Nilton Molina.