Novos empregos devem ser gerados com indústria de carros elétricos

Quanto melhor a indústria se desenvolver, maiores serão as quantidades de empregos ofertadas. Neste cenário, um segmento que está crescendo bastante, com uma demanda cada vez maior, é o de carros elétricos.

Em um levantamento feito pelo Boston Consulting Group, é possível verificar um número interessante sobre essa indústria. O estudo, que também contou com a parceria do Michigan Mobility Institute, mostra que cerca de 115 mil novos empregos surgirão nos Estados Unidos para atender a demanda.

Foto: (reprodução/internet)

Continue a leitura deste artigo para entender melhor sobre este segmento no Brasil e como você poderá ser beneficiado, com uma possível oportunidade de emprego.

A próxima década para o segmento

A previsão do mercado americano para a próxima década é positiva para as montadoras de carros elétricos. De acordo com a pesquisa realizada recentemente, esse modelo de veículo irá ocupar quase que a metade das vendas de automóveis novos no Estados Unidos.

A perspectiva de crescimento indica que esse número será alcançado até o ano de 2030. Portanto, esse total de 115 mil novos empregados será alocado para desempenhar diferentes funções no processo de montagem dos carros elétricos.

ANÚNCIO

Então, em torno de 45 mil funcionários serão requisitados para trabalhar em funções relacionadas à engenharia de computação e mobilidade. Os outros 70 mil contribuirão com os testes necessários na produção, além de realizar as devidas manutenções nos carros.

Porém, essa alta quantidade indica como essas funções estarão sendo requisitadas nos próximos anos. No ramo da engenharia de mobilidade, o número de engenheiros requeridos será 6 vezes maior que a quantidade de profissionais capacitados para poder desempenhar essa função na indústria. Logo, o número de vagas deverá ser maior que a de empregados.

A indústria de carros elétricos no Brasil

Quando olhamos em uma perspectiva a nível global, todo o setor automobilístico se move para soluções cada vez mais sustentáveis. Os objetivos em reduzir a quantidade de gases emitidos para a atmosfera que provocam o efeito estufa adquiriram respeito e prioridade no segmento. Porém, no Brasil ainda falta muito engajamento neste sentido.

Atualmente, o nosso país conta com uma frota de 59 milhões de veículos. Mas, a quantidade de carros elétricos não é proporcional, com apenas 10,6 mil automóveis desse modelo. O presidente da Associação Brasileira de Veículos Elétricos – ABVE, Ricardo Guggisberg dá uma explicação para a baixa.

“O veículo elétrico é caro por causa das baterias. Isso dificulta o desenvolvimento. Mas ganhamos incentivos, como isenção de imposto de importação e de produção. Com a evolução e a queda dos preços, o cenário vai mudar”

Parece que a previsão de Guggisberg para o Brasil não está errada, afinal, a demanda está aumentando cada vez mais.

BMW, Nissan e Renault já iniciaram

Há poucos dias, a BMW comunicou a instalação de 40 novos postos de recarga no Brasil para os veículos elétricos até o fim de 2019. A marca de luxo já conta com 110 pontos em algumas capitais do país. Por exemplo, na rodovia Presidente Dutra existe um corredor elétrico com 6 postos de recarga, 3 de cada lado. Desses 6, 2 são da BMW.

Além da montadora, Nissan e Renault possuem atividades no segmento brasileiro já para este mês. O Nissan Leaf, que teve suas encomendas disponibilizadas desde de novembro do ano passado, já começará a ser entregue. Paralelamente, a marca francesa já realizou a venda de 20 unidades do compacto Zoe no país.

Com isso, é possível ver que a demanda de elétricos realmente tem crescido. Para a indústria brasileira se desenvolver nesse sentido e gerar mais oportunidades de emprego é apenas questão de tempo.

ANÚNCIO