Ônibus autônomos farão motoristas serem menos requisitados

Há cinco anos em São Paulo, foi extinta a função de cobrador nos ônibus municipais de Campinas. Com o passar do tempo, outras cidades também foram aderindo à nova alternativa. Tudo graças à facilidade oferecida, eliminação de gastos e maior segurança. A automatização dos sistemas tem colocado em cheque funções que anteriormente eram muito requisitadas.

Hoje, foi noticiado em vários portais da internet a chegada da automação que deve extinguir parte de mais um posto de trabalho no serviço de mobilidade pública. Em Brasília, os chamados ônibus autônomos começarão as atividades ainda esse ano. A novidade será possível graças a uma parceria entre o Governo do Distrito Federal e o Vale do Silício.

Foto: (reprodução/internet)

Para saber mais sobre a automatização dos ônibus e seus impactos no mercado de trabalho, continue a leitura deste artigo.

Ônibus autônomos farão testes na capital

Brasília é internacionalmente conhecida por sua arquitetura moderna. A impressão que dá é que a capital do país está sempre um passo à frente quando o assunto é inovação. Afinal, criar uma cidade por completo em apenas cinco anos é revolucionário para o urbanismo.

Dessa vez, o GDF está entrando em um novo desafio. Hoje foi lançado o plano de tornar Brasília a primeira cidade inteligente da América Latina. Ainda esse ano, a inteligência artificial estará compondo o dia a dia dos cidadãos brasilienses.

PROPAGANDA

Para iniciar o projeto, a primeira área que experimentará a inovação será a do transporte urbano terrestre. Inicialmente, o governo do DF fará a implementação de ônibus autônomos na região do Plano Piloto, pela Esplanada dos Ministérios. Ou seja, a partir de então os veículos não precisarão mais de um motorista.

O primeiro ônibus coletivo autônomo faz parte de um projeto de uma empresa incubada no Vale do Silício, nos Estados Unidos. O nome da empresa ainda não pode ser exposto, porém existe a confirmação de que as negociações já estão em andamento. Transformar o dia a dia das pessoas com a interação entre redes de computadores e objetos é um dos focos atuais dessa região na Califórnia.

O projeto está apenas no começo

Entre os próximos dois meses, já deverá ser fechado o contrato entre as partes envolvidas na negociação. E então, logo em seguida o veículo inovador será transportado para o Distrito Federal. Gilvan Máximo, que é o secretário de Ciência e Tecnologia de Brasília comenta sobre as proporções que o projeto deve tomar na capital do Brasil.

“Os próximos encontros servirão para conhecer a tecnologia. Será um projeto piloto para avaliar a expansão posteriormente. O ônibus será completamente autônomo, sem a necessidade de motorista ou qualquer outro funcionário. O software já foi desenvolvido, e o trajeto simples da Esplanada é ideal para testá-lo”

E complementa:

“Não estamos medindo esforços para avançar nessa tecnologia. Vamos ser a primeira cidade a testar a internet 5G, que é muito mais rápida do que a comum. Câmeras inteligentes, de reconhecimento facial, serão espalhadas pela cidade. E tudo isso estará interligado para mudar a rotina dos moradores do DF”

A ideia não é substituir 100%

Mesmo com toda a modernidade e facilidade que os ônibus autônomos irão gerar, os planos não são para trocar a frota de ônibus em sua totalidade. No entanto, a função de motorista, apesar de não ser extinta assim como a de cobrador, será bem menos requisitada com o passar do tempo. Afinal, o número de vagas se tornará bastante escasso.

PROPAGANDA