Síndrome de Burnout atinge trabalhadores no Brasil – saiba como tratar

A Síndrome de Burnout é um distúrbio psíquico que acontece devido ao esgotamento físico e mental que está ligado ao trabalho. Para sermos mais precisos, entenda como um estresse crônico causado pela pressão do trabalho.

O assunto é tão novo, mas tão numeroso que a Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um estudo para incluir o distúrbio nas próximas classificações de doenças (CID).

Agora, a síndrome está inserida no capítulo XXI dos problemas relacionados ao modo de vida (Z73). E está designado como “Classificação Internacional de Doenças”, isto é, CID 10. Ao passo que o Burnout está sendo chamado no documento como estado de exaustão vital – Z73.0.

Aqui no Brasil, mais especificamente, um relatório da Isma-BR (International Stress Management Association) mostrou dados preocupantes. 72% dos brasileiros que trabalham tem sequelas vindas do estresse. Do todo, 32% sofrem com o distúrbio de Burnout.

Como acontece?

A gente pode considerar diversos sintomas da síndrome. Como agressividade, isolamento, mudanças de humor, irritabilidade, ansiedade, dificuldade de concentração. Mas, cada indivíduo, pode descobrir o distúrbio de formas diferentes.

Helloá Regina foi citada em uma matéria publicada na internet. Ela contou como descobriu que estava sobrecarregada e estressada no seu trabalho.

“Ficava sempre doente. Imunidade baixa. Com crises de ansiedade. E nos exames sempre mostrava que eu estava bem. Foi quando optei por procurar terapia e comecei a cuidar de mim”.

Já no caso da Suellen Vieira, ela conta que descobriu quando notou que sentia mais os sintomas aos domingos. Porque era nesse dia que lembrava que tinha que voltar ao trabalho.

O que dizem os especialistas

Atualmente, o FalaFreud é um dos aplicativos mais baixados da área da terapia. Ele tem Sabrina Ferrer como chefe da área da psicologia. E, para ela, a síndrome ainda não é tratada a sério como deveria.

“70% de todos os casos dessa síndrome vem do trabalho. Especialmente, de pessoas que são pressionadas o tempo todo com prazos ou chefes”.

Para ela, a grande questão é que se não for diagnosticada e tratada, a doença pode chegar para a parte física também. O que piora, ainda mais, o quadro.

Além disso, a depressão também pode ser aflorada com o não tratamento da síndrome.

E como tratar a síndrome de Burnout

Hoje em dia, com base nas informações da especialista e da Ana Paula Cunha, que é doutora do IBMR, o melhor tratamento é o que se inicia com a terapia.

Isso tem que estar agregado com outras mudanças de vida, como no estilo de vida e na prática mais constante de atividades físicas. Diminuir o uso de aparelhos tecnológicos, como a televisão e o smartphone, também é recomendável.

“Pessoas saudáveis são mais proativas frente aos desafios no trabalho”, comenta Cunha.

No site do governo também podemos ver outra indicação de tratamento, que também é compatível com o que foi citado aqui.

“Após o diagnóstico médico, é recomendado que a pessoa tire um tempo de férias e faça atividades de lazer com amigos e familiares”.

Em casos mais acentuados, também podem ser recomendadas medidas como internações hospitalares e intervenções médicas com remédios.